Um dia essa ferida irá cicatrizar, mas isso não quer dizer que não haverá marcas.

Comportamento Rê Holz 22/06/2017

Quantas marcas você carrega no seu coração? Quantas vezes, ficamos mexendo nas feridas, impossibilitando de cicatrizar mais rápido? E, quando é cicatrizada, acaba ficando uma marca. Marcas fortes, fracas, profundas, superficiais.. mas ela está sempre ali, pra ser lembrada.

Dói né? Eu sei que dói. Um dia a gente sente mais, outros dias menos. Ás vezes a gente acha que a dor sumiu, mas na verdade a gente já se acostumou com ela. O nosso coração avisa, o passado volta, a gente pensa, a gente sofre. Menina, o que te dói tanto?

Colecionadora de marcas. Sempre achamos que aprendemos a evitar o sofrimento, ficamos mais fortes, espertas... e quando a gente menos espera, já tem outra marca em cima de tantas outras iguais a ela. Mais uma. Por isso que digo, somos colecionadoras de pequenas “tatuagens”.

Ás vezes temos medo de se entregar de novo, né? Criamos um bloqueio. Na verdade eu diria um medo. E se tudo acontecer de novo? Já sofremos tanto, e não queremos sentir essa dor outra vez. Será que escolhemos nos machucar? São tantas perguntas! Na verdade, são as marcas querendo falar.

De certo modo, temos que admitir: TUDO isso nos deixa mais VIVA! Foram experiências ruins, mas existem tantas outras boas! Carregamos também no coração marcas que queremos ter pro resto da vida! E são essas que nos motivam a sempre tentar algo novo, dando a esperança de que um dia iremos achar uma marca que faça sumir todas as outras que nos fizeram chorar.


Todas as marcas tem um porque

Isso te faz crescer.

Não olhe só as marcas ruins,

não de à elas prioridades,

aprecie as marcas boas que você também tem.